A corrupção social e política na democracia da lógica

Este artigo propõe uma análise do tema que se prega como democracia, quando na verdade é um Estado artificial.

Se você olhar ao teu redor vai perceber que a corrupção é uma instituição tão forte na sociedade como a instituição da democracia de uma nação.

E ela tão corrupta, tão ardil, que todo mundo a odeia, mas vivem abraçados com ela, pois, embriagados na intoxicação da hipocrisia, cada um levanta a vergonha do outro enquanto esconde a própria.

Olhar no espelho

Um exemplo disso que testemunhamos nos dias de hoje, é que a sociedade prega a igualdade dentro de um estado democrático, mas diante de um momento de chamado cívico de vacinação em massa, lá está ela, a corrupção vistosa, abraçando os espertinhos:

Uma vez…

Policiais federais constrangem servidora e tentam furar fila da vacinação

O incidente aconteceu na tarde deste sábado (27/3), no drive-thru do Terraço Shopping. Os policiais exigiam o acesso a “xepa”, que são doses remanescentes do imunizante contra a covid-19 (CORREIO BRAZILIENSE, 2021)1

Inúmeras vezes ….

MP-PR investiga mais de 600 denúncias de ‘fura-fila’ da vacina contra Covid-19 no Paraná.

Segundo a Controladoria Geral do do Paraná, quase 40% dos municípios do estado registram pelo menos um caso de pessoas que furaram a fila da vacinação. Denúncias podem ser feitas de forma anônima (RPC PONTA GROSSA – G1, 2021)2.

Ou ainda naquela hipocrisia da catimba popular de que, eu tenho o direito, mas o dever é só para os outros, porque o meu direito é o de desrespeitar as obrigações.

Uma vez …

Médico registra festa clandestina ao lado de UPA com pacientes de Covid-19 na Zona Leste de SP (ISTO É, 2021)3

Inúmeras vezes …

Polícia investiga mais de 4.600 pessoas envolvidas em festas clandestinas em SP.

Em menos de 20 dias, delegados instauraram 52 inquéritos policiais em todo o estado (Henrique, 2021)4.

E diante de todos esses escândalos, o primeiro impulso nos leva a tropeçarmos num abraço da corrupção, ao olharmos irresignados todos esses comportamentos desprezíveis, julgando que eles estão errados e nós que não fazemos isso, estamos certos.

No entanto, se, nos isentarmos da hipocrisia e intoxicação da corrupção, conseguiremos compreender que, na verdade, somos nós todos que estamos errados, somos nós todos desprezíveis nesse ambiente, e que, no dia da mentira é essa verdade que sempre ocultamos de nós mesmos.

Para buscar luzes para a resposta, vamos nos valer de nosso texto anterior COVID-19: governantes e empresários no caminho errante para a morte, quando falamos que vivemos em sociedade, mas, voltada apenas para nós mesmos, somente olhando o próprio umbigo, como se todas as leis, todas as obrigações e deveres estivessem voltados exclusivamente para a satisfação humana ou da Humanidade, e, não como colaborações para a edificação do ambiente como um todo, por isso estamos sempre olhando para dentro, como foi proposto naquele artigo:

Os erros que se testemunha no presente são perceptíveis ao observamos que os modelos da administração moderna têm como referência líderes que dão soluções, emoldurando ícones como por exemplo, Steve Jobs, Bill Gates, que, certamente na faculdade, não frequentaram aquele barzinho preferido da turma, e por isso não ouviram as lições de J. Quest quando cantava:

Viver é uma arte, é um ofício
só que precisa cuidado.
Prá perceber quer que olhar só pra dentro
é o maior desperdício.
O teu amor pode estar do seu lado (REIS e JOTA QUEST, 2004) (LUCIO FILHO, 2021)5.

Se reconhecermos isso, talvez possamos identificar o cupim que corrompe o tronco, pois, ele é quase imperceptível, mas dentro de nós, nos intoxica com uma substância com um enorme poder alucinógeno, que nos ilude com a sensação de ser, ou “sonho de ser”, um verdadeiro deus.

Neste sonho o tema é “ser dono da própria vida” e o lema é “independência financeira”, que combinado forma a ilusão de transformar qualquer um em deus, capaz de controlar tudo e a todos, como se não existisse o Universo, mas cada um fosse o centro do mundo, sob o olhar no próprio umbigo da humanidade do ter: meu time, minha família, minha cidade, meu país, valendo-se de planos estratégicos, agenda, orçamentos, avaliações, pré-ocupações, alimentando um corpo poderoso chamado lógica.

Ao garrar-se na lógica, que é a estruturação parcial da Arte, o cupim da corrupção produz a sociedade das aparências, a artificialidade que também é conhecida por hipocrisia, que há 370 anos atrás, em abril de 1651, agarrou com força como vítima em Paris, Thomas Hobbes, que nos lembrando a inocência do acidente do césio-137 em setembro de 1987 em Goiânia, o fez se encantar pela artificialidade, e denominou o poderoso alucinógeno de Leviatã, proferindo uma profecia atualíssima para os tempos presentes.

Do mesmo modo que tantas outras coisas, a natureza (a arte mediante a qual Deus fez e governa o mundo) é imitada pela arte dos homens também nisto: que lhe é possível fazer um animal artificial. Pois vendo que a vida não é mais do que um movimento dos membros, cujo início ocorre em alguma parte principal interna, por que não poderíamos dizer que todos os autômatos (máquinas que se movem a si mesmas por meio de molas, tal como um relógio) possuem uma vida artificial?

Pois o que é o coração, senão uma mola; e os nervos, senão outras tantas cordas; e as juntas, senão outras tantas rodas, imprimindo movimento ao corpo inteiro, tal como foi projetado pelo Artífice? E a arte vai mais longe ainda, imitando aquela criatura racional, a mais excelente obra da natureza, o Homem. Porque pela arte é criado aquele grande Leviatã a que se chama Estado, ou Cidade (em latim Civitas), que não é senão um homem artificial, embora de maior estatura e força do que o homem natural, para cuja proteção e defesa foi projetado.

E no qual a soberania é uma alma artificial, pois dá vida e movimento ao corpo inteiro; os magistrados e outros funcionários judiciais ou executivos, juntas artificiais; a recompensa e o castigo (pêlos quais, ligados ao trono da soberania, todas as juntas e membros são levados a cumprir seu dever) são os nervos, que fazem o mesmo no corpo natural;

a riqueza e prosperidade de todos os membros individuais são a força; Salus Populi (a segurança do povo) é seu objetivo; os conselheiros, através dos quais todas as coisas que necessita saber lhe são sugeridas, são a memória; a justiça e as leis, uma razão e uma vontade artificiais; a concórdia é a saúde; a sedição é a doença; e a guerra civil é a morte. Por último, os pactos e convenções mediante os quais as partes deste Corpo Político foram criadas, reunidas e unificadas assemelham-se àquele Fiat, ao Façamos o homem proferido por Deus na Criação (MALMESBURY, 2015, p. 9)6

É atualíssima pois, diante da artificialidade de cada um individualmente, há os reflexos no Estado artificial civil e eclesiástico de Hobbes, pois, no Estado há uma lei maior do sonho de Igualdade da nação, no entanto, a artificialidade dos poderes governamentais, executivo, legislativo e judiciários são verdadeiras classes de privilégios que os tornam muito distante da realidade do cidadão comum.

Vivem em um patamar muito superior da realidade do homem comum, pois, os salários são diferenciados em milhares de reais comparados com o do cidadão comum, há privilégios para a categoria que não alcança aos demais cidadãos, como foro privilegiado, aposentadoria com vencimentos integrais, pensões aristocratas até a terceira geração, auxílios e benefícios que sequer são imitados pela iniciativa privada, muito menos para o cidadão comum, polícia do próprio do poder, julgador para o próprio poder.

O serviço se dá sob a prevalência da aplicação do direito sem qualidade de justiça, ou seja, é o Estado artificial a exemplo de 1651, formalizando o carimbo do direito sem qualquer controle em qualquer um dos poderes pela falta de eficácia da justiça sonhada pelo Art. 37 da Constituição Federal.

Todos carregam a consciência do imoral, mas como detêm o poder “o tornam legal”, e às favas a justiça social, já que a própria sociedade também é artificial ao ponto de hoje, primeiro de abril de 2021, em que é noticiada pela imprensa nacional a morte de 500 cidadãos só na fila de uma internação, ou seja, privados da dignidade e cidadania de se receber o serviço público da saúde que não é obrigação, mas dever do Estado.

Cidadãos que não são anônimos, pois constam dos cadastros estatais para a tributação de erário ao longo de suas vidas mantendo os altos salários e benefícios e luxos de cada um desses poderes.

No entanto, tal escândalo deplorável, não provoca o mínimo constrangimento de falha administrativa em algum desses poderes, e, seguindo o principio de se olhar para o próprio umbigo, não provoca qualquer complexo de culpa pelas mortes trágicas daqueles que o sustentam, se quer se lembrando dos órfãos e viúvas, e nem qualquer iniciativa dos poderes fiscalizadores, como se nada tivesse a ver com alguma autoridade governamental, pois o Estado é artificial como profetizou em sua ingenuidade, Thomas Hobbes.

Mas o tema deste trabalho não é uma crítica ao Estado, mas sim, o artificialismo da lógica que cada um carrega em si como se fosse o ar que respira pois, uma vez que em toda arquitetura lógica está a ilusão do controle e do domínio, na sensação da liberdade e independência, que parecendo ser bom, tornar-se um cupim corruptor e transforma a realidade em mera aparência ou simulação, isto é, em artificialismo.

O poder desse domínio é tão forte que parece ser impossível viver sem lógica, porque essa impossibilidade é formada pela ambição e desejo de aplicar o princípio de “controlar a vida” no entanto, como não há uma lógica para se controlar a vida, a sabedoria convida para que a realidade se construa deixando a própria vida ditar o controle, criando sentido e construindo emoções, essas são as matérias-primas que se plasmam a ética de todas as matérias ou objetividades físicas que abraçando a sanidade, harmonizam qualquer ambiente, ao invés de arquiteturas de pensamentos lógicos que são secos, rígidos e desumanizados pela falta de sentidos.

No dia da mentira, a grande mentira social, é a grande verdade, já que vivemos uma sociedade do artificial. De que adianta um sobrevida de miseráveis que ao invés de dignidade e cidadania, recebem esmolas dos poderes como moeda de trocas por favores em suplícios no lugar de prestarem serviços, não havendo espaço para os sentidos da vida de se andar de cabeça erguida, ou mesmo de se dar um sorriso? Até quando o homem escolherá a fake de dizer que é democracia, mas viver no “me engana que eu gosto”?

Fazendo uma adaptação às palavras de Jucas Chaves, o governo é um bobo vestido de deus, seguido por um monte de deuses vestidos de bobos, por isso, alegremo-nos pois, a mentira já se foi e a justiça bate à porta, eliminando para sempre o artificialismo, pois, como é a vida quem domina, e não a lógica pois suas fronteiras são curtas, a tendência é a de se edificar os sentidos que é arte a eliminar as bobeiras que é artificial como um dia já nos preveniu o Profeta Isaías ” Naquele dia o Senhor vai castigar com sua espada dura, grande e forte, Leviatã, a serpente tortuosa, serpente escorregadia. Matará o monstro que habita o oceano” (Isaías, cap. 27, v, 1).

1CORREIO BRAZILIENSE. Policiais federais constrangem servidora e tentam furar fila da vacinação. In Caderno DF Cidade, 27/03/2021. Disponivel em https://www.correiobraziliense.com.br/cidades-df/2021/03/4914523-policiais-federais-constrangem-servidora-e-tentam-furar-fila-da-vacinacao.html.

2RPC PONTA GROSSA – G1. MP-PR investiga mais de 600 denúncias de ‘fura-fila’ da vacina contra Covid-19 no Paraná. In G1, PARANÁ RPC, 30/03/2021. Disponivel em https://g1.globo.com/pr/oeste-sudoeste/noticia/2021/03/30/mp-pr-investiga-mais-de-600-denuncias-de-fura-fila-da-vacina-contra-covid-19-no-parana.ghtml. Acesso em 01/04/2021.

3ISTO É. Médico registra festa clandestina ao lado da UPA com pacientes de COVID-19 na Zona Leste de SP. In ISTO É. Caderno Geral, da Redação, 29/03/2021. Disponível em https://istoe.com.br/medico-registra-festa-clandestina-ao-lado-de-upa-com-pacientes-de-covid-19-na-zona-leste-de-sp/. Acesso em 01/04/2021.

4HENIRQUE, Alfredo. In São Paulo Agora, Caderno Coronavírus, 31/03/2021. Disponível em https://agora.folha.uol.com.br/sao-paulo/2021/03/policia-investiga-mais-de-4600-pessoas-envolvidas-em-festas-clandestinas-em-sp.shtml. Acesso em 01/04/2021.

5LUCIO FILHO, Laurentino. COVID-19: governantes e empresários no caminho errante para a morte. Disponível em https://formaresaber.com.br/covid-19-governantes-e-empresarios-no-caminho-errante-para-a-morte/. Acesso em 01 abr. 2021.

6MALMESBURY, Thomas Hobbes de. O Leviatã ou matéria, forma e poder de um estado eclesiástico e civil. São Paulo. Edipro, 2015.

Autor: Laurentino Lúcio Filho

Advogado na área cível-empresarial, há 26 anos, Mestre em Tecnologias da Inteligência e Design Digital na linha da Semiótica Cognitiva com foco em formação docente e Professor Universitário nas graduações de Adminsitração, Gestão de Pessoas e Contabilidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *