Inteligência emocional: A formação da certeza e o vigor da esperança

Este texto tem por propósito apresentar a experiência percepcional a partir da aplicação de tecnologias da inteligência por semiótica cognitiva, extraída de um fragmento da Obra Batismo, ainda inédita.

Apresentamos a seguir uma experiência de semiótica cognitiva com o fim de desenvolvimento de inteligências emocionais esperando como resultado uma percepção real do ambiente como forma de eliminação de ansiedade e desalento.

Nossa pretensão é a de ensinar o leitor a enxergar com outros olhos a Vida e não o de convencê-lo de ideias de uma nova filosofia.

Para isso, essa experiência visa demonstrar objetivamente a interação entre a parte imaterial da vida (tempo) com a parte material da vida (espaço), ou seja, a composição do quantum (menor unidade da física quântica) criado a partir de um fenômeno formado pela parte que constitui o picossegundo, que pode ser chamado de Alfa, e a outra parte, formada pela parte que constitui o nanômetro, que pode ser chamado de Ômega, pois se completam em princípio e fim.

Esse fenômeno que é ponto de estudo, tomou por base a praxis isto é a experiência real de vida, ou Ômega, como resultado da sua constituição a partir da Ética, isto é, da imaterialidade do Alfa, cujo seu papel precedente, foi o de definir a estrutura do fenômeno a ser produzido, ou Ômega, que pode ser chamado de resultado, ou, Estética, apresentado pela Liturgia Missal de 26/10/2021.

a) Da parte material da vida ou Ômega

A parte material da vida constitui-se da apresentação da estrutura estética revelando-nos o momento presente, e, colocando como realidade interativa a aflição da criação, e, criação não significa humanidade, mas, desde as inimagináveis grandezas das galáxias dos confins do Universo que fazem fronteira com o Universo Alfa, à menor criatura viva que se conhece nas profundezas dos abismos neste Planeta, como narradas no texto:

Irmãos, eu entendo que os sofrimentos do tempo presente nem merecem ser comparados com a glória que deve ser revelada em nós. De fato, toda a criação está esperando ansiosamente o momento de se revelarem os filhos de Deus.

Com efeito, sabemos que toda a criação, até o tempo presente, está gemendo como que em dores de parto.E não somente ela, mas nós também, que temos os primeiros frutos do Espírito, estamos interiormente gemendo, aguardando a adoção filial e a libertação para o nosso corpo (Carta aos Romanos, Cap. 8, 17-19.22-23 – Liturgia Missal 26/10/2021).

b) Da precedência da parte imaterial da vida ou Alfa

A parte imaterial da vida é a interação da própria vida a partir da articulação com os princípios a que se submete a constituição pelos seus membros, ou falando de uma forma mais simples, a parte imaterial da vida é o respeito às naturezas que à constitui. É como em um jogo de futebol, em que o técnico está juntamente com o time, definindo a estratégia de jogada contra o adversário, pois nesse momento tudo é imaterial, ainda não ocorreu o jogo: “acaso não sabeis que os que correm no estádio correm todos juntos, mas um só ganha o prêmio? Correi de tal maneira que conquisteis o prêmio (1ª Carta aos Coríntios, 9,24).

1) A ética da certeza

O primeiro ponto estratégico dessa praxis, que é também o ponto Ético, ou, do Alfa é a consciência da interação cognitiva sobre os aspectos da vida imaterial, dotado de três elementos: certeza, confiança e alento, convidando a cada ser vivo a aprender a experiência de reconhecer presente no Ômega a precedência ética do Alfa, revelando-nos que a fusão entre tempo e espaço inicia-se por um fato imaterial, ou Alfa, podendo ser comparado ao calor do amor que precede a relação do casal, que gerará uma nova vida, ao qual somos despertados sob o seguinte pressuposto:

Ora, o objeto da esperança não é aquilo que a gente está vendo; como pode alguém esperar o que já vê? Mas se esperamos o que não vemos, é porque o estamos aguardando mediante a perseverança (Carta aos Romanos, Cap. 8, 24-25 – Liturgia Missal 26/10/2021).

2) A ética da confiança

O segundo ponto estratégico desta praxis, é a ética da esperança, baseando-se no princípio de que em todo o resultado de um fenômeno, ou Ômega, há a precedência de uma Ética, ou Alfa, na sua função de alimentar a esperança a partir da certeza de uma promessa baseada em um histórico de uma praxis, ou, Ômega, ocorrida anteriormente, assim seu princípio básico, ou metodologia científica é constituído pelo seguinte pressuposto:

Digo-vos isso agora antes que aconteça, para que, quando acontecer, creiais que Eu, Eu sou (JOÃO, 19,18b-19).

Essa interação é comparada à interação vital por um DNA (ácido desoxirribonucléico), que constitui toda a estrutura física de um ser, baseada no histórico imaterial, isto é no Alfa de seus antecessores, a fim de que pode se tomar por certo, ou experiência de fé, aquilo que foi testado por promessa a partir de uma praxis, ou, Ômega: Digo-vos isso agora antes que aconteça, para que, quando acontecer, creiais que Eu, Eu sou (JOÃO, 19,18b-19)..

3) A ética do alento ou, esperança

Ao ser possível reconhecer a ética que precede à realidade presente, torna-se possível absorver a certeza da estrutura que constitui os fenômenos que experimentamos no presente, na mesma certeza que o DNA de cada um continuará sem a nossa intervenção produzir o mesmo tipo sanguíneo que alimentará a estrutura do corpo, ou, saindo da quântica para o mundo externo, na mesma certeza de que o sol brilhará amanhã, pois, segue uma ética, ou Alfa, que lhe foi dito antes como acontecerá, da forma que nós esperamos, como se confirma pela Liturgia Missa de São João Paulo II de 22/10/2021):

Naquele tempo, Jesus dizia às multidões: “Quando vedes uma nuvem vinda do ocidente, logo dizeis que vem chuva. E assim acontece. Quando sentis soprar o vento do sul, logo dizeis que vai fazer calor. E assim acontece. Hipócritas! Vós sabeis interpretar o aspecto da terra e do céu. Como é que não sabeis interpretar o tempo presente? (Lucas 12,54-56).

c) Do Alfa precedente ou, Nêutrons

Os Nêutrons que compõem o átomo da matéria, é a sombra, o escuro, o negativo a articular com os prótons, constituídos de cargas positivas, e aqui, a precedência do que foi dito antes está no pressuposto da Palavra que disse:

Jesus disse ainda: “Com que poderei ainda comparar o Reino de Deus? Ele é como o fermento que uma mulher pega e mistura com três porções de farinha, até que tudo fique fermentado” Liturgia Missal – 21/10/2021.

Ilustração:NidhiYashwanth

Esse pressuposto na realidade presente de 26/10/2021, refere-se a um Ômega que gravou no DNA da vida, as éticas da confiança, certeza e alento, de forma tão profunda, em uma escada espiral, que mudou todo o curso das criaturas, na forma que, se Deus visitou o mundo em forma humana, a condição para isso, foi que houvesse o Alfa na ética da confiança, certeza e alento como o cântico de São Frei Galvão, cuja memória foi celebrada na Liturgia Missal de 25/10/2021:

Ave do mar Estrela, Bendita Mãe de Deus, fecunda e sempre Virgem, Portal feliz dos céus. Ouvindo aquele Ave do Anjo Gabriel mudando de Eva o nome, trazei-nos paz do céu (FREI GALVÃO apud NEOTI, 2009, p. 59)1.

Sem que a Mulher acolhesse a ética da confiança, pela sua fé, ou, sem a ética da certeza pela sua praxis, ou, liturgia pessoal, e, ainda, sem a ética do alento sob a promessa de que Deus sempre se lembra da aliança com Abrahão e nossos pais, a Vida teria sucumbido à morte.

A participação da Mulher não foi um ato meramente gestacional, mas de extraordinária força sobre-humana, que nenhum de nós é capaz de repetir, ao colocar sua ética de confiança no impossível, e somente pela certeza da fé isso seria possível, até o extremo dela se tornar capaz de conceber a Vida em si, formando o Embrião Sagrado, apenas pelo imaterial, pelo Alfa, pelo Nêutrons, sem articulação com o Ômega, como registrado no livro da Vida:

Maria perguntou ao anjo: “Como acontecerá isso, se eu não conheço homem algum? ”O anjo respondeu: “O Espírito virá sobre ti, e o poder do Altíssimo te cobrirá com sua sombra. Por isso, o menino que vai nascer será chamado Santo, Filho de Deus.

Maria, então, disse: “Eis aqui a serva do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra!” E o anjo retirou-se (Lucas, 1,34-38 – Liturgia da Festa de Nossa Senhora do Rosário – 07/10/2021).

d) Da estrutura do Alfa para o novo Ômega

A partir desses preceitos, torna-se possível compreender o tempo presente sob a ética da Liturgia Missal de 26/10/2021, para a criação, isto é, para tudo o que vive debaixo do céu, ou Alfa, e que habita o universo, ou, Ômega.

Irmãos, eu entendo que os sofrimentos do tempo presente nem merecem ser comparados com a glória que deve ser revelada em nós. De fato, toda a criação está esperando ansiosamente o momento de se revelarem os filhos de Deus (Carta aos Romanos, Cap. 8, 18-19 – Liturgia Missal 26/10/2021).

Se é possível testemunharmos um extraordinário ato que compôs a história da Vida, que não nos parece ser capaz de ser imitado por algum de nós, que foi a geração da Vida pela fé, confiança e esperança da Mulher, tornando possível a Vida vencer a morte, podemos agora dizer como Paulo, que os sofrimentos do tempo presente não podem destruir a esperança do Glória que virá, pois a todos nós é anunciado neste dia “Maravilhas fez conosco o Senhor (Salmo 125 [126], – Liturgia Missal 26/10/2021), porque para a Mulher:

o Todo-poderoso fez grandes coisas em meu favor. O seu nome é santo, e sua misericórdia se estende, de geração em geração, a todos os que o temem” (Lucas 46, 49-50 – Liturgia Missal das Vésperas do Natal – Advento – 22/12/2020).

E essa vitória da Vida sobre a morte, em favor das criaturas, fato que mudou o Mundo ao ponto de ser comparado à mudança no nome de Eva, apresenta a praxis precedente narrada por São Paulo como uma bênção sobre as criaturas pela santificação do Mundo através da Mulher, pois até a geração do próprio Deus que encarnou-se em seu seio, somente Ela era Cristã: pois o marido não-cristão fica santificado por sua mulher cristã (Primeira Carta aos Coríntios 7,14).

Com isso a liturgia presente chama ao homem a imitar o seu gesto na liturgia missal deste dia 26/10/2021, quando o Senhor diz:

“Com que poderei ainda comparar o Reino de Deus? 21Ele é como o fermento que uma mulher pega e mistura com três porções de farinha, até que tudo fique fermentado”.

A Mulher que santifica a casa do Senhor, a sua Tenda, o faz pela reverência de três porções de farinha, a, primeira porção, a santificação pela reverência do Espírito, através do nosso acolhimento da fé na geração pelo Espírito, chamado de Mistérios Gozosos. Depois, a segunda medida de farinha, pelo acolhimento da praxis, do próprio Deus, no Batismo do Senhor, chamado de Mistérios Dolorosos, e por fim, a terceira medida de farinha, pela Glorificação do Poder de Deus Pai sobre todos as coisas, no acolhimento do temor de Deus, chamado de Mistérios Gloriosos.

O Reino dos Céus é como uma mulher que pega o fermento (o Rosário), e mistura três porções de farinha (os três mistérios do Terço), Santificando a Casa do Pai: O seu nome é santo, e sua misericórdia se estende, de geração em geração, a todos os que o temem” (Lucas 46, 49-50 – Liturgia Missal das Vésperas do Natal – Advento – 22/12/2020).

Se tudo isso confirma o que foi dito antes, devemos conservar em nós a certeza de que a Ética da Vida, vence os infortúnios ao qual somos escravos:

De fato, toda a criação está esperando ansiosamente o momento de se revelarem os filhos de Deus. Pois a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua livre vontade, mas por sua dependência daquele que a sujeitou; também ela espera ser libertada da escravidão da corrupção e, assim, participar da liberdade e da glória dos filhos de Deus (Carta aos Romanos, Cap. 8, 19-21 – Liturgia Missal 26/10/2021).

1NEOTI, ofm. Frei Clarêncio. Orar 15 dias com Frei Galvão. Aparecida-SP: Santuário, 2009.

Autor: Laurentino Lúcio Filho

Advogado na área cível-empresarial, há 26 anos, Mestre em Tecnologias da Inteligência e Design Digital na linha da Semiótica Cognitiva com foco em formação docente e Professor Universitário nas graduações de Adminsitração, Gestão de Pessoas e Contabilidade.

2 comentários em “Inteligência emocional: A formação da certeza e o vigor da esperança”

  1. O fermento que se mistura à farinha fazendo parte dessa essência, aumentando o composto, tornando-o modificado, ao meu entendimento, se remete à reflexão de que: da fonte viemos e carregamos em nós parte dela, podendo manifestar e co-criar, porém somos pedra bruta ainda em processo de lapidação. Parabéns pelo belo trabalho!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *